Curso Online Descaracterização de Barragens

Desenvolvimento e aplicação dos estudos, métodos, tecnologias e ferramentas que garantam a segurança nos projetos de descaracterização de barragens.

Detalhes do curso

A Agência Nacional de Mineração determinou que todas Barragens de Mineração alteadas pelo Método de Montante ou com método construtivo desconhecido devem ser descaracterizadas (Resolução 13/2019 integrante da atual Portaria 70.389/2017). Isto gerou uma grande demanda desenvolvimento e aplicação de estudos, métodos, tecnologias e ferramentas que garantam a segurança nos processos de descaracterização (com o projeto de recuperação/aproveitamento da área) mas que, ao mesmo tempo, não inviabilize economicamente um empreendimento.

Mas a proposta do Treinamento de Descaracterização de Barragens vai além, visando o fomento à elaboração de projetos de colaboração futura, tanto em termos de pesquisa quanto em termos de inovação tecnológica. Espera-se que os aspectos práticos sejam amplamente debatidos entre os professores e alunos e que todos desenvolvam o conhecimento para compartilhar as boas práticas de engenharia.

Serão apresentados também, as principais normas a serem atendidas do ponto de vista de plano de contingência com ênfase na fase de descaracterização, afinal, trata-se de uma atividade que exige maiores cuidados do ponto de vista da segurança.

Metodologia

O IM desenvolveu uma metodologia de treinamentos tele presenciais exclusiva. Aqui, as aulas são transmitidas ao vivo dos estúdios IM que são montados com a melhor tecnologia em equipamentos e espaço para que os professores ministrem o conteúdo como se estivessem em sala de aula e que os alunos recebam uma ótima imagem e ainda interajam tirando dúvidas e compartilhando experiências. 

4 FASES DO TREINAMENTO

1 – Plataforma de Ensino: O aluno recebe acesso à Plataforma de Ensino antecipadamente onde encontrará os materiais das aulas e complementares, como vídeos, artigos e e-books. O objetivo é nivelar o conhecimento dos alunos e melhorar o aproveitamento da aula ao vivo. 

2 – Transmissões ao vivo: O aluno assistirá à aula online com os professores e poderá tirar suas dúvidas ao vivo. Para acessar a plataforma, é necessário possuir uma conta no Gmail, caso não possua, crie uma clicando aqui. Enviaremos o acesso a aula ao vivo, minutos antes dela iniciar em nosso grupo social com o aluno e também via e-mail.

3 – Mais 30 dias de acesso: As aulas são gravadas e os vídeos são editados e postados na plataforma de ensino para que os alunos continuem seus estudos com até 30 dias de acesso ao conteúdo com assistência dos professores. 

4 – Emissão do Certificado: Para a retirada do certificado de conclusão do treinamento, o aluno deve ser aprovado em um teste na própria plataforma e o documento é gerado automaticamente com a aprovação. 

Material Didático

O material do curso foi reformulado para incluir experiências práticas e as atualizações da portaria DNPM Nº 70.389, publicada em 19/05/2017, e da Resolução ANM 13/2019. Tal Resolução, apresenta aspectos vinculados à descaracterização de barragens alteadas para montante ou com método construtivo desconhecido.

Foi desenvolvido um material específico sobre a Lei Estadual de Minas Gerais que estabelece a Política Estadual de Segurança de Barragens, deda pela Lei 23.291/2019.

Já este ano, a Lei Federal 12.334/2010, foi alterada pela Lei 14.066/2020 que traz consigo, diversas mudanças da Política Nacional de Segurança de Barragens inclusive do ponto de vista de descaracterização de barragens.

Desenvolva

• Visão abrangente dos processos de descaracterização de barragens, considerando desde princípios fundamentais como a obtenção de parâmetros a serem investigados antes da elaboração dos projetos conceituais e posteriormente executivos, até a efetiva realização das ações propostas como descomissionamento, controle hidrológico e hidrogeológico, estabilização e por fim, monitoramento;

• Os aspectos primordiais para um efetivo conhecimento dos parâmetros geotécnicos e a aplicação de tecnologias de ponta para um melhor desempenho, seja no processo de estabilização com ou sem remoção dos rejeitos existentes na estrutura, seja na devolução final da estrutura ao meio ambiente;

• Capacidade para elaborar ou contratar projetos e serviços sob a perspectiva geotécnica de acordo com determinações tanto no âmbito Federal (Resolução ANM 13/2029) quanto a lei estadual 23.291/2019 para criação e implementação dos projetos de descaracterização de barragens;

• Conhecer quais tecnologias integradas ao processo de descaracterização são as mais aconselhadas objetivando uma melhor compreensão geotécnica e comportamento da estrutura, antes, durante e depois da execução do projeto.

• Formação de redes de conhecimento (networking) entre os participantes e os palestrantes e professores;

Público Alvo

Esta capacitação se destina a 5 grupos principais de profissionais:

• Colaboradores de empresas que são os responsáveis pelas estruturas, gestores e também quem atua na operação;

• Agentes das organizações públicas ou civis responsáveis por licenciamento ou fiscalização de obras;

• Colaboradores de empresas que fornecem tecnologia de instrumentação e monitoramento geotécnicos;

• Consultores e todos os envolvidos na concepção, planejamento, gestão e análise de projetos construtivos;

• Comunidade acadêmica e estudantes de pós-graduação.

Conteúdo Programático

  • Definições Gerias
  • Principais legislações relativas à descaracterização de barragens: Portaria 70.389/2017, Lei Estadual Resolução 13/2019, Lei 23.291/2019 e Lei Federal 14.066/2020 que alterou a Lei 12.334/2010;
  • Principais aspectos relativos a Planos de Contingência para realização de descaracterização de barragens;
  • Barragens de rejeito versus barragens de retenção de água – Concepções e aplicações; 
  • Acidentes e incidentes – Definições e metodologias voltadas para a prevenção de eventos; 
  • Tipos de disposição de rejeito – aspectos e parâmetros importantes; 
  • Condições de instabilidade – Modos de ruptura;
  • Terminologia associada à descaracterização;
  • Legislação – o que precisa ser descaracterizado, como e quando (prazos);
  • Principais projetos (conceitual, básico, executivo, As Built e As Is;
  • Investigação Geotécnica;
  • Qualidade de dados para elaboração de projetos;
  • Conceitos e princípios de projeto de descaracterização – Principais parâmetros e estudos a serem considerados.
  • Fluxograma de descaracterização;
  • Detalhamento das etapas;
  • Elementos do projeto;
  • Alternativas de projetos;
  • Critérios de projeto em função do nível de alerta da barragem e práticas consagradas;
  • Remoção completa versus remoção parcial (eliminando o trânsito de cheias);
  • Estudo de caso.

Professores

Graduado em Engenharia de Minas pela UFOP;
Pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho pela FACAM;
Pós-graduado em Master em Engenharia em Geotecnia pela PUC/MG;
Mestrando em Geotecnia pela UFOP com foco em atividades mineiras;
Especialista em Recursos Minerais;
Professor da Pós Graduação em Direito Minerário e Ambiental PUC/MG;
Professor da Pós Graduação em Geotecnia e Segurança de Barragens e Pilhas do Instituto Minere/Faculdade Arnaldo;
Professor nos cursos EAD do Instituto Minere: Licenciamento Ambiental na Mineração, Plano de Aproveitamento Econômico, Licenciamento na ANM, Desmonte de Rochas e Operações Mineiras e Relatórios e Projetos Técnicos na ANM;
Consultor Técnico da Herkenhoff & Prates Tecnologia e Desenvolvimento;
Vasta experiência em atividades minerárias e de segurança de barragens;
Instrutor em Gestão de Riscos;
Atuou como Responsável Técnico em diversas empresas do setor minerário.
 

É Pós-Doutor em Geotecnia pela UFV, Doutor em Geologia de Engenharia pela UFRJ, Doutorando em Geotecnia pela UERJ, Mestre em Geotecnia pela UERJ, Mestre em Geologia de Engenharia pela UFRJ, possui MBA em Gestão de Projetos pela USP e, Bacharel em Geologia pela UFRJ. Geólogo com 14 anos de experiência em planejamento de obras de arte de engenharia civil, nacionais e internacionais. É Docente de Graduação e Pós-graduação. É Pesquisador Colaborador da UFV e Consultor nas áreas de Geologia de Engenharia e Geotecnia, com ênfase em Mecânica das Rochas e Mecânica dos Solos. É Membro de Comissões Técnicas, de Corpo Editorial e Revisor Ad hoc de Periódicos nacionais e internacionais.

Atuação em Engenharia Geotécnica na área de modelagem numérica de pilhas, barragens, cavas, análises de estabilidade e sistemas de estabilização de taludes e encostas, estruturas de fundação e contenção. Análises por equilíbrio-limite e por elementos finitos em abordagens determinísticas e probabilísticas.
Com mais de 19 anos de experiência em geotecnia, hoje Thiago é engenheiro geotécnico na BVP Geotecnia e Hidrotecnia, Líder da Disciplina Geotecnia, e atua como EoR e no desenvolvimento de projetos e modelagens numéricas em 2D e 3D.
Professor das disciplinas de Estabilidade de Taludes e Métodos Numéricos do curso Master Engenharia em Geotecnia da PUC Minas; e da disciplina Modelagem Numérica de Obras Geotécnicas do curso de Pós-graduação em Geotecnia e Segurança de Barragens e Pilhas do Instituto Minere.

Jurista e gestor público, é Secretário Nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia (MME), Presidente do Conselho Fiscal da Pré-Sal Petróleo-PPSA, Presidente do Conselho de Administração da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM e Coordenador- Geral do Grupo de Trabalho-15 (Mineração), do Mercosul.

Engenheiro geólogo (Universidade Federal de Ouro Preto – 1986), engenheiro civil (Escola de Engenharia Kennedy, 1989), MSc Mining Engineering (Queen´s University, 1997), MBA Gestão de Projetos (Fundação Dom Cabral, 2000). Experiência profissional: Itaminas Comércio de Minérios SA (engenheiro geotécnico, 1986-1989), Minerações Brasileiras Reunidas SA – MBR (chefe departamento de geotecnia, 1989-2006), BEMISA SA (gerente de geotecnia, 2006 a 2009 e gerente geral de planejamento e desenvolvimento, 2009 a 2010), VOGBR Recursos Hídricos e Geotecnia (sócio/ Diretor Técnico, 2010 a 2014) e Consultor Independente (F&Z Consultoria e Projetos, desde2014). Possui diversos trabalhos publicados em congressos nacionais e internacionais, é qualificado como QP (“Qualified Person”) em geotecnia para atendimento às normas JORC e NI-43.101.

Pós- doutorado pelo Programa de Pós-Doutoramento em Democracia e Direitos Humanos do Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos da Universidade de Coimbra - Portugal. Doutora em Direitos Fundamentais e Liberdades Públicas pela Universidade de Castilla-La Mancha – Espanha. Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, Brasil. Master em Direito Internacional e Comparado do Meio Ambiente pela Universidade de Limoges, França. Bacharel em direito pela Universidade de São Paulo (USP). Promotora de Justiça em Minas Gerais. Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais. Coordenadora da Comissão Permanente de Meio Ambiente, Habitação, Urbanismo e Patrimônio Cultural (COPEMA) do Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH) do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG).

Graduado em Engenharia de Minas pela Universidade Federal de Ouro Preto (1987), mestrado em Engenharia Metalúrgica e de Minas (CPGEM) pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993) e doutorado em Gerenciamento Ambiental - University of Wales, Aberystwyth, País de Gales (2001).É professor da Universidade Federal de Ouro Preto. Desenvolve estudos na área de Engenharia de Minas, com ênfase em desenvolvimento de mina, fechamento de mina e gerenciamento ambiental na mineração.

Engenheiro Químico (UFMG/2005) e Mestre em Sustentabilidade Socioeconômica e Ambiental (UFOP/2011). Analista Ambiental da Fundação Estadual de Meio Ambiente (FEAM) desde 2006, já atuou como gerente de Resíduos Sólido Industriais e da Mineração, diretor de Gestão de Resíduos e atualmente exerce o cargo de presidente do mesmo órgão. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em: meio ambiente, resíduos sólidos, barragens de rejeito e áreas contaminadas.

Engenheiro civil e engenheiro geólogo pela Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto, mestre em Geotecnia pela COPPE/UFRJ e doutor em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos/SP. Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Ouro Preto, Coordenador do NUGEO - Núcleo de Geotecnia da UFOP (núcleo de coordenação dos programas de pós-graduação em geotecnia da instituição) e Coordenador do Centro Tecnológico de Geotecnia Aplicada (CTGA) da Escola de Minas da UFOP. Atuou como Membro da Câmara de Engenharias I da CAPES e foi Coordenador da Câmara de Engenharias e Arquitetura da FAPEMIG. Como docente, é professor da graduação do Curso de Engenharia Civil e dos programas de Pós-Graduação em Geotecnia da UFOP. Como pesquisador, atua nas áreas de Geotecnia Aplicada à Mineração, Geotecnia de Áreas Urbanas, Ensaios de Campo e Geossintéticos. Como profissional técnico, atua nas áreas de projeto e consultoria técnica em empreendimentos de mineração, geossintéticos e barragens e é responsável pela implementação de convênios e projetos de pesquisa na UFOP, com diferentes empresas e órgãos de fomento do país.

Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, 1970);

Mestrado em Engenharia de Solo, Escola Politécnica da USP (USP, 1981).

Engenheiro Chefe da Divisão de Barragens (1976 – 1978) na Promon Engenharia S.A – São Paulo – SP.

Engenheiro Chefe do Departamento de Geotecnia (1978 - 1982) na IESA – Internacional de Engenharia – Rio de Janeiro – RJ; 

Diretor de Engenharia da Engerio – Rio de Janeiro – RJ.

Desde 1989 atua como Diretor e Engenheiro Consultor da Pimenta de Ávila Consultoria Ltda., empresa especializada em Geotecnia e Recursos Hídricos aplicados à mineração, indústria e geração de energia.

A Empresa desenvolve estudos e projetos de barragens para diversas finalidades, desde a acumulação de água para geração de energia ou abastecimento, até barragens de finalidade de controle ambiental.

A Empresa desenvolve, ainda, estudos na área de gestão de riscos e segurança de barragens, engenharia ambiental e planos de fechamento de minas e barragens de rejeitos.

Como consultor individual participa de Boards de Consultores de usinas hidrelétricas, como: Belo Monte, Estreito, Foz do Chapecó.

Investimento

1º Lote - Finaliza no dia 01/09/2021

R$ 980

a vista no boleto ou em até 10x de R$ 108,00

2º Lote - Finaliza no dia 27/09/2021

R$ 1240,00

a vista no boleto ou em até 10x de R$ 138,00

Com a palavra, nossos clientes

Instituto Minere vem se destacando como importante formador de mão-de-obra especializada em mineração, preenchendo uma lacuna deixada pelas universidades na formação técnica tão preciosa às mineradoras.

Mario Trota

Geólogo Consultor em Exploração Mineral

As mídias do IM compartilham conteúdos muito interessantes e que agregam alto valor ao nosso conhecimento. A política de desconto a ex-alunos e a acessibilidade aos responsáveis complementam os benefícios. Parabéns!

Diego de Arvelos Nicolau

Engenheiro Geólogo - KINROSS

O IM nos concede uma ótima oportunidade de estarmos atualizados e sermos profissionais cada vez mais preparados para enfrentar os desafios do mundo moderno. Parabéns ao IM por trabalhar em prol do desenvolvimento da atividade mineradora!

Leonardo Souza

Consultor - CLGeo Soluções em Geologia e Mineração

Investimento

1º Lote - Finaliza no dia 13/06/2021

R$ 980

a vista no boleto ou em até 10x de R$ 108,00

2º Lote - Finaliza no dia 23/06/2021

R$ 1240,00

a vista no boleto ou em até 10x de R$ 138,00

© Instituto Minere

by nerit