QAQC: Modelagem Geológica

por Marcela Tainã em 28/Jul/2017
QAQC: Modelagem Geológica

Nos textos anteriores discutimos sobre o QAQC na exploração mineral e a importância do mesmo na criação do banco de dados. (Para ler a matéria anterior: clique aqui)

Nesse texto vamos falar de alguns impactos da falta de QAQC na modelagem geológica. Para isso terei uma abordagem diferente, não irei esclarecer, irei lançar questionamentos que espero que levem o leitor a refletir sobre a problemática da falta de QAQC na criação do modelo geológico.

As maiores expectativas do projeto estão na criação do modelo geológico. Claro que se nas fases anteriores a modelagem não foram utilizados controles de qualidade, todos os dados utilizados para modelar podem estar comprometidos.

Há um conjunto de dados necessários a modelagem, vamos falar de alguns e apresentar uma (podem haver várias) possibilidade de desvio sobre cada tópico:

• Mapa geológico: O mapa foi confeccionado (provavelmente) durante a fase de pesquisa mineral. O mapa é o suporte para decisões de estruturação do modelo geológico, ele responde perguntas tais como: Qual a seqüência estratigráfica? Há falhas? Há dobras?

Agora ao leitor eu questiono: O que poderia ocorre com o modelo geológico, caso não tenha havido um QA (um procedimento) de utilização de datum geográfico?  Caso o mapeamento não esteja na escala adequada de detalhamento do modelo?

• Informações de sondagem (furos): Normalmente a criação do modelo geológico conta com informações de subsuperfície oriundas de sondagem. Durante a sondagem há diversos problemas que podem ocorre que comprometeriam a modelagem geológica, mas assumiremos que a campanha de sondagem foi bem controlada por um programa de QAQC. Nesse tópico, quero chamar atenção ainda para a questão de posicionamento espacial.

Agora ao leitor levantarei alguns questionamentos: O que aconteceria com os contatos geológicos se o datum do collar dos furos não for o mesmo do mapeamento? O que aconteceria com os contatos geológicos caso utilizemos mais de um tipo de sondagem na modelagem? O que aconteceria com os contatos geológicos caso os furos apresentem desvios de trajetória não mensurados?

• Descrição geológica e química: Mantendo o foco na questão de posicionamento espacial, questiono ao leitor:

Qual o impacto de amostras trocadas? Qual o impacto na criação do modelo geológico de 5% das amostras não estarem em posições trocadas?

As questões apresentadas são apenas algumas das quais o programa de QA/QC deve controlar na fase de modelagem geológica.

Marcela Tainã

Membro do Australian Institute of Geoscientists AIG. Bacharel em Geologia (USP), é especialista em Amostragem, QA/QC e Avaliação de Recursos. Participou como CP/ QP e implementação de programas de QA/QC (Quality Assurance and Quality Control) em projetos de grandes players nacionais. Vasta experiência também em modelamento geológico e Geometalurgia.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit