Poços tubulares e sistemas de bombeamento em mineração

por Rodrigo Sérgio de Paula em 16/Jun/2020
Poços tubulares e sistemas de bombeamento em mineração

Poços tubulares são perfurados em mineração visando atender um ou dois objetivos principais, produção de água nova para o processo de beneficiamento e/ou rebaixamento do aquífero para extração de minério em áreas próxima ao nível freático.

Para este objetivo, o projeto de locação de poços, assim como de sua rede de distribuição é de essencial importância para bom aproveitamento do recurso hídrico e maximização de explotação de água e/ou rebaixamento do sistema aquífero, de acordo com a necessidade do empreendimento.

A aplicação clássica de métodos de perfilagem geofísica e dimensionamento de bombas são utilizados para atendimento aos objetivos específicos de cada empresa, no entanto em processo de baterias de poços, onde se almeja o rebaixamento e/ou explotação do sistema aquífero, a complexidade da bateria de poços, impõem desafios que muitas vezes por falta de conhecimento, faz com que o sistema de poços tubulares seja tratado como pontos isolados para posicionamento de bomba e controle de nível d’água, apesar disto o processo deve ser tratada não poço a poço, e sim como uma avaliação do comportamento do aquífero.

Nesta esfera, para um trabalho com maior eficiência do sistema de bombeamento a aplicação de técnicas clássicas, distribuição de caixas elevatórias e avaliação do rebaixamento do nível potenciométrico da região e de primordial importância para melhor operacionalização do sistema de rebaixamento e produção de água dentro de uma mina.


Rodrigo Sérgio de Paula

Professor Adjunto do Departamento de Geologia da Universidade Federal de Minas Gerais iniciado em 2019, com graduação em Geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2006), Mestre em Hidrogeologia, com ênfase em modelagem numérica de fluxo de aquíferos cársticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2012); Doutor em Hidrogeologia, com ênfase em modelo conceitual de fluxo de aquíferos cársticos pela Universidade Federal de Minas (2019). Experiência por mais de 10 anos como hidrogeólogo com atuação em minério de ferro, isótopo, hidrogeoquímica, modelagem numérica, perfuração de poços de bombeamento e monitoramento, análise de rede de monitoramento hidrometereológica, ensaios hidrodicnâmicos, análise de relatórios ambientais entre outros.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit