Planejamento de Lavra aplicado a Infraestrutura de Mina

por Edmo Rodovalho em 01/Apr/2019
Planejamento de Lavra aplicado a Infraestrutura de Mina

A infraestrutura de mina contempla as atividades que dão suporte para as operações unitárias de lavra. Os equipamentos, serviços, insumos e grau de especialização podem variar substancialmente de um projeto para outro. A seleção das operações de infraestrutura está relacionada ao método de lavra, características geológicas, presença de comunidades nas proximidades, condições climáticas, porte, tipo de equipamentos utilizados na produção e etc.

O objetivo principal da infraestrutura de mina é garantir que as operações unitárias produtivas performem ciclos controlados, seguros e previsíveis. Como exemplo, podemos citar uma mina metálica de médio ou grande porte que opera pelo método de lavra por bancadas. Neste caso podemos citar como atividades de infraestrutura as operações de controle de poeira, manutenção de acessos, instalação e manutenção de drenagens, monitoramento de vibrações oriundas do desmonte de rochas, conformação de pilhas de estéril, retaludamentos, sinalização de mina e outros. Todas estas operações necessitam do suporte direto de equipes de planejamento de curto e longo prazos.

Após a confecção das geometrias de lavra de longo prazo, o sequenciamento de lavra orienta a operacionalização dos planos de curto prazo. Uma vez definidas as áreas de lavra e desenvolvimento de uma mina, é possível programar as atividades de infraestrutura. O gestor de infraestrutura passa a contar com suporte técnico seguro para tomar decisões visando uma boa performance operacional.

Considerando apenas o controle de poeira, o gestor de infraestrutura é capaz de priorizar os equipamentos de supressão poeira nos acessos onde haverá uma movimentação mais intensa de um plano mensal de lavra. Conhecendo as áreas de lavra naquele mês, é possível identificar quais acessos oferecem a menor distância até o destino.

A manutenção de acessos, direcionamento de drenagens e conformação de pilhas de estéril precisam de atualização topográfica periódica. A superfície topográfica levantada em campo pode ser confrontada com o projeto operacional da mina, indicando ao gestor de infraestrutura as áreas prioritárias de atuação. Esta prática garante o uso racional dos recursos como combustíveis e pneus contribuindo para melhorar a performance ambiental do empreendimento.

A sinergia e o compartilhamento de informações entre equipes de infraestrutura e planejamento garantem um bom desempenho operacional, econômico e ambiental. Estas são algumas das premissas de uma mineração sustentável que promove a integração entre a indústria e a sociedade em torno de um objetivo comum, o desenvolvimento.

Edmo Rodovalho

Engenheiro de Minas, doutorado em Engenharia Mineral pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, mestrado em Engenharia Mineral pela Universidade Federal de Ouro Preto. Desenvolveu sua carreira em projetos de grande porte, com operações de lavra a céu aberto em diversos métodos e para diversos bens minerais. Possui ampla experiência como gestor da área de planejamento de lavra em multinacionais da área de mineração e siderurgia. Atualmente é professor adjunto na Universidade Federal de Alfenas, onde atua nas áreas de Planejamento de lavra, geoestatística, simulação e modelamento matemático aplicados à mineração e operação de mina.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit