Deveria haver um setor de Qualidade na Geotecnia?

por Marcela Tainã em 13/Jun/2022
Deveria haver um setor de Qualidade na Geotecnia?

Antes de falarmos sobre o setor da qualidade, devemos entender em que ambiente estamos. Os dados geotécnicos são os dados que descrevem o comportamento físico e mecânico de solos, rochas e maciços. Incluímos no grupo de dados geotécnicos os dados oriundos de monitoramentos e controles construtivos. Logo estamos falando da geração de dados que balizaram as análises de definição dos meios e de controle de estruturas.

Armand V. Feigenbaum em 1951, em seu livro Quality Control , brilhantemente pontua que:

“A qualidade, que era um trabalho de todo mundo, acabava sendo um trabalho de ninguém”.

O autor defende a ideia de que deveria ser criado um departamento dentro da empresa que cuidasse exclusivamente da qualidade que deveria seguir quatro etapas:

1 – Padronizar: Estabelecer e definir padrões, tanto de custo, quanto desempenho de um produto;

2 – Avaliar: Comparar o desempenho dos produtos com padrões estabelecidos;

3 – Agir: Quando necessário, deve-se tomar providências de correção quando os padrões fossem violados;

4 – Planejar: Aprimorar e realizar esforços para maximizar os padrões, tanto de custo, quanto de desempenho.

Dada a máxima relevância técnica, econômica e social dos dados geotécnicos deveria haver um setor responsável pelo geração, tratamento, armazenamento e disponibilização dos dados.

Marcela Tainã

Membro do Australian Institute of Geoscientists AIG. Bacharel em Geologia (USP), é especialista em Amostragem, QA/QC e Avaliação de Recursos. Participou como CP/ QP e implementação de programas de QA/QC (Quality Assurance and Quality Control) em projetos de grandes players nacionais. Vasta experiência também em modelamento geológico e Geometalurgia.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit