Classificação de Recursos Minerais segundo os códigos Internacionais

por Marcela Tainã em 04/Aug/2020
Classificação de Recursos Minerais segundo os códigos Internacionais

A classificação dos recursos minerais é dada em três categorias qualitativas. Quem qualifica o recurso em uma das categorias é a pessoa competente, que após avaliar os dados define espacialmente a classe do recurso mineral na jazida.

Segundo os códigos (Joint Ore Reserves Committee, 2012), um ‘Recurso Mineral’ é uma concentração ou ocorrência de material de interesse econômico na crosta terrestre, ocorrendo de uma forma e quantidade tais que justificam razoáveis perspectivas para uma eventual extração econômica. A localização, quantidade, teor, características geológicas e continuidade de um Recurso Mineral é conhecido, estimado ou interpretado a partir de evidências e conhecimentos geológicos específicos. Pela ordem de confiança geológica crescente, os Recursos Minerais são subdivididos nas categorias Inferidas, Indicadas e Medidas.

  • Recurso Inferido: é aquela parte do Recurso Mineral para a qual a tonelagem, teor e conteúdo mineral podem ser estimados com baixo grau de confiabilidade. É inferido a partir de evidência geológica, com presumida, mas não comprovada, continuidade geológica e de teor. Sua interpretação é baseada em informações coletadas através de técnicas apropriadas, tais como afloramentos, trincheiras, poços, escavações e furos de sonda, os quais podem ser poucos ou de incerta confiabilidade.
  • Recurso Indicado: é aquela parte de um recurso mineral em que a forma do corpo, sua tonelagem, as densidades, as características físicas, o teor e o conteúdo mineral podem ser estimados com razoável grau de precisão. Baseia-se em resultados de exploração mineral, amostragem e análises, obtidos com técnicas apropriadas em locais como afloramentos, trincheiras, poços, escavações e furos de sonda. Esses locais situam-se a grandes distâncias ou a espaçamentos insatisfatórios, inadequados para a confirmação da continuidade geológica e/ou de teor, mas suficientemente próximos para admitir a continuidade da mineralização.
  • Recurso Medido: é aquela porção de um recurso mineral para o qual a tonelagem, densidades, formato, características físicas, teor e conteúdo mineral podem ser estimados com alto grau de precisão. Baseia-se em resultados de exploração mineral, amostragem e análises detalhadas e confiáveis, executada com técnicas apropriadas em locais como afloramentos, trincheiras, poços, escavações e furos de sonda. Esses locais estão espaçados em proximidade suficiente para confirmar a continuidade geológica e/ou de teores.

Apesar do recurso ser classificado pela pessoa competente está tem que seguir a diretriz dos códigos quanto a característica da classe do recurso, ou seja, recurso indicado deve admitir a continuidade da mineralização e o recurso medido além da continuidade da mineralização a continuidade do teor.

Diante disso:

  • Recursos Indicados: Continuidade geológica. Fator espacial causa grande interferência. 
  • Para ser Recurso Indicado os dados precisam garantir a interpretação precisa da estrutura geológica e admitir a continuidade da mineralização. Os controles topográficos são essenciais.
  • Recursos Medido: Continuidade de teor. É preciso garantir o teor e densidade. (Volume já está garantido no Recurso Indicado)
  • Para ser Recurso Medido é necessário que a tonelagem e o teor da mineralização possam ser estimados com bastante precisão e que qualquer variação da estimativa não afete significativamente a viabilidade econômica em potencial. Assim, é fundamental o controle de QAQC do laboratório e ensaios de densidade precisos.

Marcela Tainã

Membro do Australian Institute of Geoscientists AIG. Bacharel em Geologia (USP), é especialista em Amostragem, QA/QC e Avaliação de Recursos. Participou como CP/ QP e implementação de programas de QA/QC (Quality Assurance and Quality Control) em projetos de grandes players nacionais. Vasta experiência também em modelamento geológico e Geometalurgia.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit