Amostragem na Mineração: O que é, qual é sua importância e quais são os passos recomendados

por Amanda Corrêa em 21/Dec/2018
Amostragem na Mineração: O que é, qual é sua importância e quais são os passos recomendados

Amanda Corrêa do portal Igeológico, conta pra gente o que aprendeu em nosso curso de Teoria Modernda da Amostragem

A amostragem é um processo importantíssimo para vários tipos de atividades na indústria, porém como é de nosso costume, aqui vamos tratar sobre o mercado da mineração.

Já citamos em outros textos sobre a importância da qualidade do nosso trabalho e quais são os impactos que trazemos para o processo como um todo (veja em nosso texto sobre Modelagem Geológica – clique aqui). A amostragem é um excelente exemplo desse assunto e conseguimos aprender mais com a oportunidade que tivemos de participar do curso de Teoria Moderna da Amostragem do Instituto Minere.

A importância da amostragem é ressaltada, principalmente, quando entram em jogo a avaliação de depósitos minerais, o controle de processos em laboratório e indústria, e a comercialização de produtos.

“Uma amostragem mal conduzida pode resultar em prejuízos vultosos ou em distorções dos resultados, de consequências técnicas imprevisíveis.”

Mas Amanda, o que é a Amostragem? Vamos alinhar alguns conceitos:

  • Amostra: é uma quantidade representativa do universo que se deseja amostrar. O método de retirada da amostra deve garantir que ela seja representativa desse universo, no que diz respeito ao(s) parâmetro(s) de interesse. Normalmente uma amostra deve ser composta pelo maior número possível de incrementos. Sua extração deve ser equiprobabilística.
  • Amostragem: consiste na retirada de quantidades moduladas de material (incrementos) de um todo que se deseja amostrar, para a composição da amostra primária ou global, de tal forma que essa seja representativa do todo amostrado.
  • Incremento: grupo de fragmentos extraídos de uma grande quantidade em um único dispositivo de amostragem. Um amostra é muitas vezes a reunião de vários incrementos.
  • Lote: quantidade finita de um determinado material separada para uma utilização específica.

Resumindo, a amostragem consiste na coleta de incrementos em uma mina (subterrânea ou a céu aberto) por exemplo, visando a correta descrição pelos Geólogos e posterior envio destes incrementos para quarteamento, homogeneização e análise do laboratório, lá serão criadas amostras e consequentemente lotes, obtendo assim informações detalhadas sobre a área de interesse.

Assim, a ideia central da amostragem é obter informações sobre o todo analisando apenas uma parte.

Você já ouviu falar sobre o caso BRE-X? (Se não, clique aqui).

O caso ficou tão famoso, que foi parar no cinema com o filme “Gold”.

O Bre-x é um exemplo da falta de controle na amostragem e QAQC de um empreendimento, onde aconteceram fraudes sobre os reais resultados de um depósito mineral. Quando foram descobertas as alterações, houve a queda nos valores da bolsa mundial, redução drástica da exploração mineral no mundo e consequentemente a revisão e adequação dos Códigos de Mineração globais.

Daí você pode perceber o quanto o processo de amostragem e QAQC são imprescindíveis!

Mas como é feita a amostragem?

Alguns passos:

  • Planejamento;
  • Coleta;
  • Quarteamento, homogeneização e análises;

1. No planejamento de amostragem, algumas situações devem ser observadas para uma maior eficiência, são elas:

  • Quais técnicas serão utilizadas;
  • Quais equipamentos serão usados;
  • Volume da amostra global;
  • Pontos de amostragem de incrementos para elaboração da amostra global;
  • Peso/massa da amostra final;

2. Coleta

A coleta de incrementos para elaboração da amostra primária deve seguir os passos preestabelecidos na etapa de planejamento. Deve ser questionado:

  • Qual o intervalo de amostragem de incrementos?
  • Qual a quantidade de incrementos?
  • Já deverão estar respondidas na etapa de planejamento, tornando eficiente a coletas dos incrementos.

3. Quarteamento, homogeneização e análises

Com a amostra global coletada, o próximo passo será homogeneizá-la  para obtenção da amostra final através do quarteamento.

Quarteamento é uma técnica que visa à redução de massa das amostras – divisão da amostra global em alíquotas com massa menor, para obtenção da amostra final de acordo com o planejamento inicial.

 Os métodos de quarteamento dividem em vários tipos, desde manuais a mecânicos (pilha cônica, pilha longitudinal e quarteadores), o tamanho/peso da amostra global ou primária irá influenciar no método de quarteamento.

 Porém durante esses processos podem ocorrer alguns erros. Sendo eles:

1. Erros de amostragem

  • Erro de ponderação: resultante da não uniformidade da densidade ou da vazão do material amostrado;
  • Erro de integração: resultante do grau de heterogeneidade de distribuição do material amostrado;
  • Erro de periodicidade: resultante de variações periódicas da qualidade do material amostrado;
  • Erro fundamental: resultante da heterogeneidade do material amostrado. Depende fundamentalmente da massa da amostra e, em menor instância, do material amostrado. É o erro que se comete quando a amostragem é realizada em condições ideais;
  • Erro de segregação: resultante da heterogeneidade de distribuição localizada do material amostrado;
  • Erro de delimitação: resultante da configuração incorreta da delimitação da dimensão dos incrementos;
  • Erro de extração: resultante da extração efetiva dos incrementos.

2. Erros na preparação

  • Perda de partículas pertencentes à amostra;
  • Contaminação da amostra por material estranho;
  • Alteração do parâmetro de interesse a ser medido na amostra final;
  • Erros não intencionais do operador (como a mistura de subamostras provenientes de diferentes amostras);
  • Alteração intencional do parâmetro de interesse a ser medido na amostra final.

A escolha do sistema de amostragem baseia-se em vários fatores como: tamanho das partículas, umidade, massa específica entre outros.

Mesmo que todos os cuidados ao realizar a amostragem sejam tomados, sabemos que quando se trata de Geologia é complicado falar em homogeneidade. Um depósito é heterogêneo e para isso deve haver um plano de amostragem adequado e procedimentos a serem seguidos.

No início deste texto, falamos sobre como uma amostragem efetuada de forma errada pode impactar em um empreendimento minerário, talvez agora possamos ter um melhor entendimento do que isso significa.

A amostragem é o início de várias etapas, através dela serão obtidos os resultados que podem conduzir ao investimento em um depósito ou até mesmo ao fechamento de uma mina. Através dela teremos resultados de teor e ao erro fundamental de cada depósito, a partir destes dados serão feitos procedimentos de QAQC, serão criados modelos geológicos e assim poderão ser estudados os melhores métodos para o planejamento de lavra, por exemplo.

Este é um assunto muito complexo e aqui abordamos de forma breve e objetiva.

Se interessou pelo tema e gostaria de aprender mais?

O Instituto Minere terá novas turmas em Janeiro (cursos de férias), clique aqui para saber mais! Aproveite essa oportunidade pois as vagas são limitadas  #DicaAmiga.

Até a próxima!

 

REFERÊNCIAS:

Apostila do Curso de Teoria Moderna da Amostragem na Mineração – Instituto Minere

Material: Centro de Tecnologia Mineral Ministério da Ciência e Tecnologia. AMOSTRAGEM, Capítulo 2.

Maria Alice C. de Góes Enga. Metalúrgica, DSc., Adão Benvindo da Luz Engo . de Minas, DSc., Mario Valente Possa Engo . de Minas, DSc. Comunicação Técnica elaborada para a 4ª Edição do Livro de Tratramento de Minérios Pág. 19 a 51

Site: https://tecnicoemineracao.com.br/amostragem-de-minerios/

https://tecnicoemineracao.com.br/dicas-amostragem-eficiente/

Amanda Corrêa

Estudante de Geologia (UniBH), Gestão de Turismo (CEFET-MG), apaixonada por Geociência e tudo que a engloba. Fundadora do "Igeológico" página sobre Geologia e Mineração.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Instituto Minere

by nerit